sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

Além… para lá do horizonte...




Paz
Irreprimível natureza
exacta medida do sem-fim
não atinjas outras distâncias
que existem dentro de mim.

Que os meus outros rostos não sejam
o instável pretexto da minha essência.
Possam meus rios confluir
para o mar duma só consciência.



Quero que suba à minha fronte 
a serenidade desta condição:
harmonia exterior à estátua
que sabe que não tem coração.
                                                          Natália Correia, in "Poemas (1955)"



                                         Rodrigo Leão 



15 comentários:

  1. Siempre es un gusto pasar por tu blog y ver tus nuevas entradas llenas de fantasia y que tan bien sabes plasmar, me encanta.

    Un abrazo.

    ResponderEliminar
  2. Obrigado pela visita (é uma honra)! Agradeço também as tuas simpáticas palavras e aproveito para te dizer que admiro muito o teu trabalho!
    Saudações

    ResponderEliminar
  3. Impresionante...este trabajo es un sueño, me gusta mucho.
    Un abrazo.

    ResponderEliminar
  4. a 9imagem esta fascinante e o poema a emoldura

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ...e a sua opinião complementa-a!
      Obrigado e volte sempre!
      Saudações

      Eliminar
  5. Thanks for your visit on my blog,
    i like this poem and music very much.

    Greetings, Joop

    ResponderEliminar
  6. Una reorganización del mundo, desde su punto de vista, maravilloso.
    Felicitaciones por su trabajo.

    ResponderEliminar